Vida louca ou vida longa?

Que tal falar sobre um assunto que pouco se conversa? Não, não estou falando da morte, estou falando da vida! Do quanto você está aproveitando a sua caminhada e por quanto tempo essa caminhada irá durar. Longevidade! Esse é o papo que quero levar com você pelos próximos minutinhos. Vai valer a pena, te garanto.

 

Imagino que vez ou outra ou pelo menos uma vez na vida você já tenha se pegado pensando em quanto tempo irá viver. Normalmente pensamos mais sobre isso quando nos deparamos com a morte. Acaba sendo inevitável não pensar sobre isso depois que você volta de um velório, como acabou de acontecer comigo. E ainda que o velório seja de uma pessoa “jovem há mais tempo”, ver pessoas derramando lágrimas e sentindo a perda, nos faz querer aproveitar ainda mais esse presente que Deus nos dá todo amanhecer, não é mesmo?

Então, a pergunta que não quer calar é: “Você já se deu conta de quantos anos irá viver adotando o estilo de vida que tem levado hoje?”.

 

Para alguns essa pode ser uma questão até corriqueira, mas para outros pode ser um belo puxão de orelha ou até mesmo uma grande oportunidade para iniciar uma mudança em busca do seu ser mais saudável.

 

Estudos recentes sobre as chamadas Blue Zones, regiões com a maior quantidade de centenários do mundo, mostram que o principal indicador sobre a longevidade é o quanto você acredita que irá viver, acredita? Da mesma forma como o melhor indicador de cura é acreditar na cura. Mas claro que apenas acreditar que você pode viver até os 100 anos não será o suficiente se você não fizer nada para tanto! Mas já é um bom começo!

 

Querer viver e ter um propósito para viver é o grande “x” da questão. Qual é o seu propósito? Qual é a sua razão para acordar todos os dias de manhã? Pense nisso com carinho e encontre motivos para viver. Pode ser seus filhos, seus animais de estimação, pode ser sua carreira, pode ser querer ajudar alguém, servir a humanidade ou simplesmente fazer seu vizinho do trânsito sorrir ao invés de buzinar grosseiramente. Eu não sei qual é o seu motivo, só sei que precisa encontrá-lo!

 

Segundo Dan Buettner, fundador e CEO da Blue Zones, existem alguns indicadores comuns às cinco regiões do mundo habitadas pelas pessoas que vivem mais e melhor. Porque não basta viver mais e doente, estamos falando de viver mais e com saúde.

 

Vamos começar dizendo quais são essas regiões: Ilha de Nuoro – Sardenha (Itália), Okinawa (Japão), Ikaria  (Grécia), Loma Linda (Califórnia) e Nicoya (Costa Rica). Cada uma tem uma história cultural muito interessante e um ponto que chama atenção dos estudiosos, mas o que elas têm em comum para que suas populações tenham as maiores expectativas de vida é que as pessoas:

 

  1. Se movimentam naturalmente todos os dias, inclusive os “jovens há mais tempo”;
  2. Cultivam atividades anti-estresse, como práticas meditativas, espirituais, sonecas;
  3. Sabem claramente seu propósito de vida;
  4. Bebem vinho artesanal;
  5. Possuem alimentação baseada em planta, grãos integrais (especialmente feijão) e oleaginosas (comem carne, mas em eventos comemorativos);
  6. Produzem seus próprios alimentos;
  7. Comem sabiamente, mais pela manhã e menos à noite;
  8. Estabelecem fortes conexões, vivem em comunidade, inclusive no conceito expandido de família (pais, avós, tios, filhos, primos);
  9. Possuem rituais de espiritualidade e fé.

 

Obviamente você, pessoa mais urbana, deve estar se perguntando como irá fazer para viver um estilo de vida que permita incluir as práticas acima no seu dia a dia. A ideia aqui não é te desanimar nem te colocar em contato com o impossível. A ideia é te convidar para repensar a vida que você leva e observar o ambiente em que você vive nos seguintes pilares (que não por acaso são os pilares do meu programa “Porque Eu Me Amo”):

 

  • Nutrição
  • Movimento
  • Descanso
  • Espiritualidade
  • Conexões

 

Se você entender que está com esses pilares bem equilibrados e dentro do que você acredita ser saudável, maravilha! No entanto, se deu uma titubeada em alguns deles simplesmente responda: O que posso FAZER para melhorar? Se não der conta de pensar nisso sozinho, estou por aqui para isso, rsrs.

 

E para você que leu esse textão até o final, terá um bônus! Para você ter uma noção da sua expectativa de vida, é só responder a esse questionário, é bem rapidinho!

Teste: saiba o quanto você vai viver

E se ainda não se der por satisfeito, você pode responder um questionário mais completo no site www.bluezones.com. A minha resposta deu 97 anos e não gostei não! Estou me dedicando para chegar aos 120 anos, que foi o que contratei com a minha filha mais velha, Tetê!

 

Com amor, saúde e muitos anos de vida,

 

Cami.